Como evitar o chargeback no e-commerce

Um dos principais problemas para empreendedores de e-commerce e grande responsável pela quebra de muitas lojas virtuais, o chargeback é o nome dado ao estorno de uma venda realizada via cartão, seja ele de débito ou crédito. Este mecanismo foi criado pelas operadoras de cartões para proteger seus consumidores de problemas com pagamentos, principalmente os realizados em meios digitais, onde não há autenticação por senha.

Como ocorre o chargeback

Para que ocorra o chargeback, basta que o titular do cartão entre em contato com a operadora e diga que não reconhece uma determinada compra, muito embora o problema também possa ocorrer quando a transação não obedece às regulamentações estabelecidas pela administradora do cartão.

A questão de impasse é que, atualmente, nenhuma administradora de cartão assume os riscos desse tipo de transação, deixando o prejuízo todo para o varejista, que efetua a venda e depois descobre que não terá o valor creditado em sua conta.

Tal fato faz com que o varejo fique exposto à ação de fraudadores, que buscam este tipo de brecha para tomar algum tipo de vantagem para si.

Quais os riscos de sofrer um chargeback

Segundo as últimas edições do Mapa da Fraude da ClearSale, empresa especializada em soluções antifraude, produtos como smartphones, games e bebidas costumam ser os maiores alvos dos fraudadores, pois costumam ter alto ticket médio e fácil revenda em mercados paralelos. Além disso, regiões como Norte, Nordeste e Centro-Oeste costumam ter índices mais altos de fraude na comparação com as regiões Sul e Sudeste, por exemplo.

No entanto, isso não quer dizer que outros segmentos não têm riscos e nem tampouco que é melhor não vender os produtos citados acima nestas regiões, pois fornecedores especializados em gestão antifraude são capazes de garantir a segurança e confiabilidade em cada transação, independentemente do valor, segmento ou região em que elas ocorrem.

Como evitar o chargeback

Para evitar problemas com altos índices de chargeback, é preciso, antes de qualquer coisa, ir a fundo nesta questão para entender exatamente o que causa este tipo de prejuízo em uma determinada loja online.

A partir disso, é fundamental procurar soluções de parceiros que tenham expertise suficiente para entender o contexto de cada situação e para conseguir mapear a ação de fraudadores nos mais minuciosos detalhes, já que a fraude é dinâmica e exige equilíbrio entre inovação – como no uso de ferramentas de AI e Machine Learning, por exemplo – e experiência para combatê-la.

Não é preciso investir muito

Ter um parceiro especializado em serviços de proteção contra fraudes não é necessariamente caro, já que o trabalho bem feito por este tipo de fornecedor significa menos reprovações, menos chargeback, menor tempo de resposta e, consequentemente, mais vendas legítimas e mais lucro para o negócio.

FONTE: https://ecommercenews.com.br/noticias/dicas/como-evitar-o-chargeback-no-e-commerce/